Partido no poder pede à oposição consenso sobre "matérias sensíveis"

São Tomé, São Tomé e Príncipe (PANA) - O partido no poder em São Tomé e Príncipe propôs à  oposição que esta encontre uma plataforma de entendimento em matérias sensíveis "para que haja uma nação unida, apaziguada, forte e desenvolvida".

A proposta consta de uma declaração política apresentada quarta-feira no Parlamento na sua última sessão plenária da 10ª legislatura, pelo secretário-geral da ADI (Ação Democrática Independente) e seu líder parlamentar, Levy Nazaré.

“É chegado o momento, para que quer o poder quer a oposição possam encontrar uma plataforma de entendimento naquelas matérias mais sensíveis, que dizem respeito a todos nós”, afirmou Nazaré.

O deputado considera que se cada político estiver a pensar da sua forma e a autoflagelar-se, ficará adiado o sonho de uma “nação apaziguada, forte desenvolvida e profundamente comprometida com a felicidade e com o bem-estar dos seus filhos”.

O manifesto do partido no poder surge depois das diligências que tem sido desencadeadas pela oposição, que neste mês manteve encontros com diplomatas acreditados no país, queixando-se das irregularidades que enfermam o OGE (Orçamento Geral do Estado), para o ano económico de 2017, e já promulgado pelo Presidente da República.

A inquietação da ADI, com 33 mandatos no Parlamento, prende-se ainda com uma recente visita surpresa dos partidos da oposição ao Hospital Ayres de Menezes, seguida da divulgação de imagens de pacientes nele internados com uma doença desconhecida, que, segundo a oposição, já causou oito mortos.

-0- PANA RMG/IZ 15fev2017

15 Fevereiro 2017 23:07:53


xhtml CSS