Futuro incerto de chefe de Estado-Maior das Forças Armadas em São Tomé e Príncipe

São Tomé, São Tomé e Príncipe (PANA) - A continuidade do brigadeiro Justino Lima, no posto de chefe de Estado-Maior das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe será decidida na próxima reunião do Conselho de Estado, declarou segunda-feira em São Tomé o general João Bexigas, porta-voz da referida instituição.

O rumo do general Justino Lima será conhecido depois de recolhidos mais dados sobre os motivos de espancamento de um civil, supostamente delinquente, na Praça da Parada do Quartel-General das Forças Armadas, deu a conhecer o general Bexigas no termo de uma reunião do Conselho de Estado, demorada mas inconcludente.

Elementos de provas apresentados no relatório recomendado pelo Governo, designadamente o ministério da Defesa e Mar ainda não são suficientes para permitir pôr termo às funções do brigadeiro Lima.

“Não se pode pôr em causa a continuidade ou não do senhor chefe de Estado-Maior. A única coisa é que nós, o conselho, entendemos que o ato foi bastante fora de certa reflexão e um falta de ponderação e condenamos este ato", frisou João Bexigas.

O general que falava com a imprensa, no Palácio do Povo, apontou que o Conselho não dispõe de todos os dados por isso que a reunião não foi conclusiva.

A reunião de Conselho de Estado, presidida pelo Presidente da República, Manuel Pinto da Costa, realizou-se sob a proposta do primeiro-ministro, Patrice Trovoada, na sequência de um vídeo posto a circular na Internet e que mostra o brigadeiro Justino Lima pontapeando, na Praça da Parada do Quartel-General, um jovem por motivos desconhecidos até agora.

-0- PANA RMG/DD 27jan2015



27 Janeiro 2015 08:50:57


xhtml CSS