África chamada a promover emprego contra pobreza

Dakar- Senegal (PANA) -- O ministro senegalês da Função pública, Trabaçhoa e Emprego e Organizações profissionais, Yéro Dé, declarou terça-feira em Dakar, estar preocupado com a pobreza crescente das populações africanas, apelando o continente para conceder uma maior importância às questões de emprego.
Apesar da melhoria notável do quadro macro-económico e macro- financeiro decorrente da implementação dos programas de reajustamento estrutural, as condições de vida e de trabalho de camadas importantes da população africana deterioraram-se, sublinhou Dé, quando intervinha na abertura de uma consulta nacional sobre a pobreza e o emprego.
O encontro, que agrupa representantes da Organização Internacional do Trabalho (OIT), do Estado senegalês, organizações pratronais, centrais sindicais, ONG e universitários, é consagrado ao relatório do director-geral da OIT publicado em Abril último e intitulado "Apartar-se da pobreza pelo trabalho".
No seu discurso, o governante senegalês frisou que as fraquezas dos indicadores sociais de base tais como a educação, saúde e emprego continuam preocupantes e mostravam a amplitude do fosso entre África e os países desenvolvidos.
Longe de ser uma fatalidade, disse, esta situação de pobreza extrema deveria pelo contrário "incentivar-nos a despertar e tomar conta do nosso destino para reduzirmos este fosso que nos separa dos países desenvolvidos".
"Este quadro sombrio da situação de África dá uma ideia da importância que se deve conceder às questões de emprego na construção da economia do continente ao lado do investimento", acrescentou Dé.
Convidou os países africanos a promover a criação de empregos decentes e utilizar razoavelmente os meios de luta contra a pobreza.
O ministro seneglês estimou finalmente que os múltiplos conflitos em África devem-se principalmente à situação de pobreza em massa no continente.

21 Outubro 2003 21:54:00


xhtml CSS