Áustria defende política de asilo mais justa na Europa

Túnis, Tunísia (PANA) – O Presidente austríaco, Heinz Fischer, defendeu esta quarta-feira na Tunísia “uma política de asilo mais justa e melhor repartida na Europa”, defendendo-se de pôr em questão este direito consagrado pelas convenções internacionais.

Durante uma conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo tunisino, Béji Caïd Essebsi, o Presidente Fischer notou que o Governo austríaco realizou quarta-feira uma reunião com os governadores das diferentes províncias do país para discutir sobre uma « série de medidas visando garantir uma melhor repartição dos requerentes de asilo em limites aceitáveis ».

Ele precisou que propostas neste sentido serão submetidas ao Parlamento austríaco e aos órgãos interessados da União Europeia (UE). “O objetivo é chegar a uma política de asilo mais justa e melhor repartida na Europa », disse.

« O fluxo dos refugiados atingiu hoje um nível limite das capacidades da Alemanha e da Áustria. Em 2015, a Áustria registou 90 mil pedidos de asilo contra 25 mil antes, enquanto 600 mil refugiados transitaram em direção à Alemanha”, revelou.

O Presidente austríaco, no entanto, sublinhou que « o direito de asilo representa um direito humano consagrado pelas convenções internacionais que não era questão de pôr em causa ». “Mas, é preciso encontrar novos meios para resolver este problema », sugeriu.

Fischer saudou, por outro lado, o processo de transição adotado pela Tunísia « para resolver os problemas de maneira pacífica, o que lhe valeu o Prémio Nobel da Paz » em 2015.

Ele afirmou que a nova Constituição tunisina « estabelece as bases para um desenvolvimento democrático que garante os direitos humanos », esperando que a cooperação e as trocas entre a Tunísia e a Áustria serão melhoradas no futuro nos domínios das infraestruturas, das energias renováveis, da educação e da igualdade entre homens e mulheres.

-0-  PANA BB/BEH/FK/TON 20jan2016

20 Janeiro 2016 18:08:31


xhtml CSS