África quer manter posto de director-geral da AIEA

Charm el-Cheikh- Egipto (PANA) -- África quer manter o posto de director-geral da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), actualmente ocupado pelo Egípcio Mohamed el Baradei, soube-se terça-feira de fonte oficial em Charm el-Cheikh, no Egipto.
A próxima eleição do director-geral da AIEA está prevista para 2009, mas Mohamed El Baradei ainda não deu a conhecer as suas intenções.
Se se candidatar a um terceiro mandato (ele dirige a AIEA desde 1997) será apoiado pela União Africana (UA), segundo o relatório do Comité Ministerial.
Porém, se Baradei não disputar um novo mandato, o Comité decidiu apoiar a candidatura do embaixador Abdoul Samad Minty da África do Sul.
Este último que apresentou a sua candidatura ao posto de presidente do Conselho de Administração da AIEA retirou-a mais tarde para disputar a direcção-geral desta instituição.
A Tunísia, a Líbia e o Sudão anunciaram igualmente a retirada das suas candidaturas ao Conselho de Administração da AIEA.
Porém, o Comité Ministerial decidiu apoiar as candidaturas do Egipto e do Burkina Faso, como membros deste Conselho de Administração.
No que diz respeito ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, o Comité Ministerial adiou o exame das candidaturas da Nigéria e do Uganda ao assento de membro não permanente cujas eleições decorrerão em Setembro de 2009 e Setembro de 2010.
Nas suas deliberações, o Comité Ministerial recomendou o apoio à candidatura de Abdulqawi Ahmed Yusuf da Somália como juíz do Tribunal Internacional de Justiça (TIJ) e rejeitou a apresentada pelo professor Sayeman Bula-Bula da República Democrática do Congo (RDC), uma vez que o seu país está sob sanções.
O Comité Ministerial aprovou também a candidatura de Gilbert Houngbo do Togo ao posto de presidente do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

01 Julho 2008 18:21:00




xhtml CSS