África do Sul participa na luta contra mortalidade infantil no mundo

Joanesburgo- África do Sul (PANA) -- A África do Sul contribuirá com um milhão de dólares americanos, durante 20 anos, para o programa Facilidade Financeira Internacional para a Vacinação (IFFIM) a fim de lutar contra a mortalidade infantil, anunciou terça-feira o Ministério sul-africano das Finanças.
A África do Sul junta-se portanto ao Brasil, à França, à Itália, à Noruega, à Espanha, à Suécia e ao Reino Unido que já contribuíram para este programa.
Em 2003, cerca de 10 milhões e 500 mil crianças morreram, antes de atingir os cinco anos da idade, de várias doenças que podiam ser evitadas através da vacinação.
Por outro lado, mais de 27 milhões de crianças não foram imunizadas durante o primeiro ano da sua vida, o que as torna vulneráveis a doenças infecciosas durante a sua infância e durante os anos produtivos da idade adulta.
Estimou-se que os quatro biliões de dólares gastos para um período de 15 anos vão permitir salvar cerca de dois milhões e 500 mil vidas antes de 2015.
Com um investimento de quatro biliões de dólares para um período de 10 anos através do mecanismo IFFIM, cerca de cinco milhões de vidas poderão ser salvas até 2015 e cinco milhões de vidas adultas suplementares se-lo-ão 20 anos mais tarde.
O Ministério sul-africano das Finanças indicou que, dos 41 países possíveis beneficiários desta convenção, nove Estados encontram-se na sub-região da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC).

26 Abril 2006 22:29:00




xhtml CSS