África do Sul defende parceria científica continental

Cidade do Cabo- África do Sul (PANA) --  O Centro Africano para a Tecnologia do Gene (ACGT), uma rede sul-africana de biotecnologia moderna, e a Universidade de Witwatersrand, estão a trabalhar para a criação de uma ampla parceria continental para os cientistas em biotecnologia, noticiou terça-feira a imprensa local.
Segundo os seus responsáveis, o ACGT pretende criar oportunidades para o envolvimento dos cientistas africanos e atingir a excelência em biotecnologia.
"Vamos também promover cursos de pós-graduação e facilitar a propriedade intelectual e a disseminação do conhecimento", declarou a directora do ACGT, Jane Morris.
O ACGT foi criado em 2000 sob os auspícios da Aliança Austral para a Pesquisa e Educação como centro de excelência em biotecnologia moderna, com um foco particular na genética e bio-informática e suas aplicações.
Por seu turno, a decana da Faculdade de Biologia Molecular e Celular da Universidade de Witwatersrand, Chrissie Rey, notou que a biotecnologia não está suficientemente desenvolvida na África do Sul para que as universidades possam competir entre si por fundos de pesquisa, capital de investimento e ideias inovadoras.
Segundo ela, um consórcio de universidades e organizações da área industrial de Gauteng pode trabalhar cooperativamente para o surgimento de uma indústria biotecnológica moderna para satisfazer as necessidades da África do Sul e do resto do continente.
Uma dessas necessidades, explicou, consiste em melhorar a prevenção e o controlo da malária, uma doença tropical que afecta anualmente milhões de pessoas no continente a cada ano.

27 Dezembro 2005 20:30:00


xhtml CSS