África do Sul contesta eliminação do CAN 2012

Cidade do Cabo, África do Sul (PANA) – A Federação Sul-Africana de Futebol (SAFA) contactou a Confederação Africana de Futebol (CAF) para contestar a eliminação da  sua equipa  do próximo Campeonato Africano das Nações (CAN)  previsto para 2012 na Guiné Equatorial e no Gabão.

Durante a última jornada das eliminatórias, a África do Sul empatou (0-0) com a Serra Leoa no estádio Mbombela em Nelspruit, enquanto o Egito venceu o Níger por 3-0.

A África do Sul terminou no primeiro lugar do Grupo G com base na diferença de golos, seguida da Serra Leoa e do Níger, visto que ambos obtiveram o mesmo número de pontos (nove), ao passo que o Egito se posicionou no último lugar com cinco pontos.

Mas, em virtude do regulamento da Federação Internacional de Futebol (FIFA), o Níger qualificou-se para o CAN em detrimento da África do Sul.

No entanto, a regra 14,1 do CAN de 2012 estipula que o primeiro critério para separar as equipas que têm o mesmo número de pontos é o « maior número de pontos obtidos durante os jogos entre as equipas em causa».

O empate em Nelspruit e a derrota do Níger (0-3) face ao Egito no Cairo significavam que três equipas do Grupo G obtiveram nove pontos, designadamente a África do Sul, o Níger e a Serra Leoa.

Segundo os critérios da CAF, os jogos entre estas equipas renderam seis  pontos ao Níger e cinco à Serra Leoa e à África do Sul,  daí a qualificação do Níger.

"Notámos que a CAF anunciou que o Níger se qualificou no nosso grupo, apesar do facto de a África do Sul ter terminado na primeira posição deste grupo em termos de  diferença de golos, que é o meio universalmente reconhecido para desempatar as equipas de força igual", indica a SAFA.

Adiantou que «compreendemos a vossa utilização da regra 14.1. No entanto, afirmamos que a equipa que lidera o grupo no termo das eliminatórias é automaticamente designada no termo dos 90 minutos de jogo e que a segunda posição é determinada pelas outras regras".

«Exprimiremos as nossas objeções largamente em breve, mas anunciamos doravante a nossa intenção de interpor recurso contra esta interpretação e esta aplicação das regras », escreve a SAFA.

A Federação Sul-Africana indicou, depois de receber um conselho jurídico sobre esta questão, ter encontrado precedentes em que as regras duma competição « deliberadamente injustas » foram anuladas em recurso.

Ao se dirigir à equipa após o seu último jogo do sábado passado, o presidente da SAFA, Kirsten Nemantandani, declarou que « não desesperem, tudo não foi perdido. Se as regras da CAF são ambíguas, então apresentaremos contestação. No entanto, fiquem positivos e deixem tudo nas nossas mãos».

-0- PANA CU/SEG/FJG/JSG/IBA/FK/DD 10out2011

10 Outubro 2011 21:21:03


xhtml CSS