África continua a sofrer efeitos do aumento de preços

Addis Abeba, Etiópia (PANA) – A subida dos preços dos produtos alimentares desde a crise mundial de 2008 tem em África um efeito prolongado sobre as disponibilidades e acesso aos produtos alimentares, deploraram terça-feira peritos reunidos na capital etíope, Addis Abeba, na oitava sessão do Comité sobre a Segurança Alimentar e Desenvolvimento Sustentável, iniciada terça-feira.

Segundo eles, o aumento dos preços mundiais dos produtos alimentares ainda observável no terceiro trimestre de 2012 provocou flutuações significativas dos preços do arroz, do milho, do trigo bem como de outros bens alimentares básicos em África.

Visto o equilíbrio frágil entre a procura e a oferta mundial de produtos alimentares e os fracos níveis de stocks mundiais de cereais nos últimos anos, é de se esperar que estes preços continuem extremamente imprevisíveis, comentaram.

Para além da África Ocidental, os preços dos produtos alimentares básicos continuaram  acima da média devido aos efeitos negativos das secas sobre a produção cerealífera em vários países do Sahel.

Os preços dos principais produtos básicos aumentaram mais de 30 porcento devido aos efeitos conjugados da subida dos preços das importações cerealíferas e das más colheitas.

A África Central e a África Oriental não escaparam a esta situação, pois os seus preços dos produtos alimentares continuaram elevados, continuando a ressentir-se dos efeitos da seca de 2011.

Na África Austral, os mais fortes aumentos de preços observados envolveram a massa de milho (34 porcento), o sorgo branco (56 porcento) e o arroz (69 porcento), na Swazilândia bem como o milho (33 porcento) no Zimbabwe.

-0- PANA IT/TBM/IBA/FK/IZ 20nov2012

20 Novembro 2012 19:48:05


xhtml CSS