África Oriental busca soluções para desemprego de jovens

Dar es Salaam, Tanzânia (PANA) – A Comunidade Leste-Africana (EAC) aposta na promoção contínua do  desenvolvimento do espírito empreendedor nos jovens dando-lhes constantemente  informações sobre  oportunidades de emprego a fim de lutar contra o aumento do desemprego e do  sub-desemprego desta franja sociedade na região.

Esta informação consta de um comunicado  divulgado terça-feira pelo Secretariado do EAC no termo de um seminário regional de dois dias organizado em Kigali, a capital do Rwanda e consagrado à elaboração de estratégias para lutar contra o esemprego dos jovens

Organizada pela Assembleia Legislativa Leste-Africana (EALA), a reunião sublinhou a necessidade de criação de empregos decentes com o apoio do Governo ao setor informal graças a instrumentos políticos e fiscai já que o emprego é essencial para o desenvolvimento económico e social. lê-se no texto.

Os participantes sublinharam que fornecer aos jovens oportunidades de emprego é um grande desafio para todos os países da EAC, que agrupa  Quénia, Uganda, Tanzânia, Burundi e Ruanda, qualquer que seja o seu nível de desenvolvimento, segundo a fonte.

Tendo em conta oportunidades limitadas de emprego no setor formal, o ministro ruandês da Juventude, Mitali Kabanda Protais, declarou que esforços enormes foram necessários para permitir aos jovens serem autónomos e criadores de empregos.

Além das oportunidades limitadas de emprego no setor formal, ele indicou que o desejo dos empregadores de contratar adultos experientes fecha a porta aos jovens trabalhadores e que a falta de informação sobre as competências requeridas são entre outros fatores favoráveis ao subemprego e ao desemprego dos jovens.

O ministro rwandês sublinhou que a juventude necessita de empregos decentes para construir comunidades estáveis e duradouras.

Segundo o presidente da Comissão da EALA sobre os objetivos gerais, Sebtuu Nassor, o Parlamento Regional tomou a sério o programa da juventude e envidou, no ano passado, esforços para integrar a questão dos jovens nas políticas e programas de sensibilização existentes.

Nassor sublinhou que os Estados parceiros comprometeram-se a cooperar no domínio da ação social ao adotar uma abordagem comum dos grupos marginalizados, como o previa o Artigo 120 do Tratado de Estabelecimento da EAC.

O Programa Regional para o Trabalho Decente, que cobre o período 2009-2015, dá prioridade ao emprego dos jovens e baseia-se nas intervenções para o emprego dos jovens nos programas de países para um emprego decente.

Por outro lado, os participantes no seminário convidaram os Estados parceiros a tomarem a responsabilidade de investir na educação e formação profissional para os jovens e melhorar o impacto dos investimentos, ao sublinharem que a questão do empreendedorismo é  necessária e vital.

-0- PANA AR/SEG/FJG/TBM/IBA/MAR/DD 12abril2011

13 Abril 2011 17:02:27


xhtml CSS