África Austral harmoniza políticas sobre biotecnologia

Lusaka- Zâmbia (PANA) -- A Aliança para o Comércio dos Produtos Básicos na África Oriental e Austral (ACTESA) fez algumas recomendações sobre a harmonização das políticas em matéria de biotecnologia e biossegurança e deu novas orientações para a sub-região.
As recomendações foram feitas depois dum ateliê sub-regional de dois dias que ocorreu em Nairobi, no Quénia, segunda e terça-feiras, indica um comunicado de imprensa da ACTESA.
A reunião congregou mais de 50 representantes governamentais e pesquisadores dos países-membros do Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA), do sector privado, das organizações camponesas, das instituições de pesquisa sub- regionais e internacionais e da imprensa.
Outros participantes vieram da África do Sul, da Comissão Económica das Nações Unidas para África (CEA) e da USAID (Agência norte-americana para o Desenvolvimento Internacional).
Além de fazer recomendações sobre a harmonização das políticas e dar novas orientações, a reunião definiu igualmente um roteiro em matéria de biossegurança e uma estratégia de comunicação sobre a biotecnologia e a biossegurança na sub-região.
O director-geral da ACTESA, Cris Muynda, sublinhou que uma vez os acordos concluídos aprovados pelos ministros do COMESA, a zona COMESA estará melhor clarificada sobre a cultura extensiva dos Organismos Geneticamente Modificados (OGM), a sua comercialização e na maneira de gerir a ajuda alimentar de emergência com conteúdo OGM.
ACTESA, que é uma instituição especializada do COMESA encarregue do desenvolvimento do agronegócio e do comércio, vai apresentar as recomendações da reunião à próxima reunião conjunta dos ministros da Agricultura e Ambiente do COMESA prevista para 20 e 21 de Maio na Swazilândia.

22 Abril 2010 11:30:00


xhtml CSS